Transformação digital no varejo: benefícios e 7 tendências do e-commerce

A transformação digital no varejo é um processo originado da popularização da internet e dos dispositivos que permitem acesso a ela. Junto a isso surgiu a necessidade das empresas de utilizar novas tecnologias, estratégias e modelos de negócios para fornecer valor aos clientes, apresentar seus produtos e realizarem vendas.


A transformação digital no varejo é resultado do aumento da participação de dispositivos e canais conectados à internet no processo de compra e venda. 

Essa presença ocorre desde as primeiras etapas de jornada do cliente, como podemos identificar no estudo desenvolvido e divulgado pela Math Ads, empresa especializada em gestão de mídias digitais. O estudo identificou que 9 em cada 10 brasileiros pesquisam na internet antes de fazer uma compra

Além disso, cerca de 80% das pessoas que têm smartphone usam o aparelho para tomar decisões enquanto estão dentro de uma loja. 

Diante desses números, não estar presente nos canais on-line coloca a sua empresa em desvantagem na corrida pela conquista do consumidor, não é verdade? 

Afinal, estar onde o seu cliente está é uma premissa para as ações de marketing e vendas, e isso não é uma novidade. Na prática, historicamente, as companhias de varejo se preocupavam em chamar a atenção de potenciais clientes, colocando suas marcas e produtos em outdoors de ruas movimentadas, anúncios no horário nobre da televisão, encartes em jornais impressos de alta circulação e muito mais. 

Atualmente, entretanto, esses veículos não prendem mais tanto a atenção dos consumidores. 

O mesmo não pode ser dito sobre a internet. Foi o que mostrou uma pesquisa feita pela empresa NordVPN. Segundo ela, os brasileiros passam cerca de 4 dias inteiros por semana conectados, o que equivale a 197 dias por ano.

Esse dado surge para confirmar que a participação da internet na vida das pessoas é soberana e tornou a transformação digital no varejo inevitável. Saiba mais sobre o assunto neste artigo!

O que é transformação digital no varejo?        

A transformação digital no varejo é um processo originado da popularização da internet e dos dispositivos que permitem acesso a ela. Junto a isso surgiu a necessidade das empresas de utilizar novas tecnologias, estratégias e modelos de negócios para fornecer valor aos clientes, apresentar seus produtos e realizarem vendas. 

Toda essa mudança exige que as organizações reestruturem suas ações, incluindo as novas tecnologias em seus planejamentos. 

Para se adaptar a essa nova estrutura, entretanto, não basta replicar o que era feito no ambiente físico, como se apenas a presença em canais digitais fosse suficiente. 

Na prática, a forma de pensar o varejo precisa ser adaptada ao novo comportamento do consumidor digital. Afinal, se no varejo tradicional, ao entrar em sua loja, o comprador tinha total atenção aos produtos e ao vendedor, atualmente, enquanto caminha por seus corredores, ele pode desbloquear o smartphone, fazer uma pesquisa on-line e encontrar o mesmo produto em dezenas de concorrentes. 

Essa é apenas uma mudança do comportamento de compra característico da transformação digital, que afeta toda a construção de estratégias de vendas para conquistar os clientes em potencial. 

Quais são as tendências da transformação digital e do e-commerce?                

Falar sobre inovação e transformação digital remete a:

  • construção de e-commerce;
  • presença em redes sociais;
  • produção de conteúdo;
  • captação de leads;
  • e-mail marketing;
  • anúncios on-line. 

Todavia, mesmo sendo elementos indispensáveis para uma estratégia digital, o mercado atual demanda mais. Por isso, é vital estar atento às novas tendências do e-commerce e do varejo. Conheça a seguir as principais.

  1. Omnichannel
  2. Big data
  3. Inteligência artificial
  4. Personalização
  5. Mobile commerce
  6. Marketplaces
  7. Social commerce

Continue lendo e entenda como e por que é importante se relacionar com seus clientes usando as novidades da transformação digital.

1. Omnichannel

Acima, falamos sobre a possibilidade de um comprador que visita a sua loja física estar, ao mesmo tempo, navegando na internet em busca da mesma mercadoria. 

Esse comportamento é um exemplo de consumidor omnichannel, que usa múltiplas plataformas antes de tomar uma decisão de compra

Ele pesquisa no Google, acessa vários e-commerce, clica em anúncios no Google ou nas redes sociais, visita uma loja para ter contato físico com o item, compra em um marketplace e por aí vai.

Segundo pesquisa realizada pela All iN e Social Miner, em parceria com a Opinion Box, 60% dos brasileiros passaram a consumir de forma híbrida, utilizando o varejo on-line e o físico. E um estudo divulgado pela Harvard Business Review confirma que 73% das pessoas combinam o ambiente físico e digital na hora de  comprar.  

Contudo, é importante esclarecer que faz parte da estratégia omnichannel não só oferecer múltiplos canais de compra, mas também garantir que eles conversem bem entre si e que sejam integrados.  

2. Big data

O uso de dados para a tomada de decisões é uma prática que gera inteligência e economia. E uma das grandes vantagens da internet é justamente facilitar o acesso a esses indicadores.

Logo, é fundamental que você use as informações que os canais on-line geram para otimizar suas ações em busca de:

  • maior retorno sobre investimento (ROI);
  • redução dos custos de aquisição de clientes (CAC);
  • aumento do tráfego de consumidores em seu e-commerce;
  • melhores taxas de conversão e mais. 

Ao observar os resultados de cada ação implementada, é possível identificar as oportunidades e falhas que precisam ser aproveitadas ou corrigidas em suas ações.

Dessa forma, você tem dados que reduzem os achismos na hora da tomada de decisão, melhorando a assertividade e agilidade

Tudo isso melhora a capacidade competitiva do negócio e, em alguns casos, amplia a satisfação dos compradores. 

Ferramentas como o Google Analytics oferecem uma série de métricas importantes para a gestão do negócio. Entretanto, de maneira geral, as plataformas on-line disponibilizam seu próprio banco de dados para avaliação de resultados. 

Leia também: Big data no e-commerce: conheça 7 vantagens para o seu negócio.

3. Inteligência artificial

A inteligência artificial no e-commerce permite a automação de uma lista de atividades que oferecem uma excelente experiência do cliente e, consequentemente, geram melhores resultados à organização. 

Logo, é vital que você considere a implementação desse recurso tão importante para a transformação digital no varejo em sua rotina. Para isso, algumas soluções podem ser consideradas, como:

Se você não sabe nem por onde começar a implementar esse tipo de funcionalidade em sua loja, conheça a SmartHint! 

Somos uma empresa especializada na criação de recursos que otimizam a experiência de compra e aumentam a taxa de conversão no e-commerce. Entre nossas principais funcionalidades estão: busca inteligente, vitrines de recomendação, pop-ups de retenção e hotsites

4. Personalização

Diferentemente do que muita gente ainda acredita, a inteligência artificial (IA) e a automação comercial não afastam a empresa do cliente. Ao contrário, quando bem implementadas, elas têm o poder de tornar a comunicação ainda mais personalizada e individual, melhorando a relação. 

As funcionalidades que apresentamos acima também são capazes de segmentar a comunicação com o cliente, de uma forma única. Uma vitrine autônoma pode, por exemplo, entender o comportamento de pesquisa de um usuário e apresentar recomendações de produtos relacionadas à necessidade particular dele. 

Ao montar suas estratégias de vendas on-line, lembre-se de que, hoje em dia, o cliente está no controle, por isso, apostar na personalização da experiência amplia as chances de capturar a atenção desse comprador.

5. Mobile commerce

O mobile commerce, ou m-commerce, nada mais é que o comércio feito através de dispositivos móveis. Para isso, é preciso buscar e priorizar a experiência do usuário em dispositivos móveis, como smartphones e tablets.

6. Marketplaces

Os marketplaces, como o Magazine Luiza, são grandes sites varejistas que permitem a venda de produtos por parte de lojistas parceiros. Ao vender em canais como esse você aproveita a credibilidade de uma marca reconhecida no mercado e o alto fluxo de visitantes dentro da plataforma.

7. Social commerce

 O social commerce usa as redes sociais para aumentar as vendas on-line e alcançar novos compradores. Canais como Instagram Shopping são importantes exemplos dessa metodologia.

Benefícios da transformação digital no varejo

Listamos a seguir os principais benefícios da transformação digital no varejo. Confira!

  • Garante a sobrevivência empresarial
  • Otimiza os processos
  • Aumenta a produtividade dos funcionários
  • Reduz o número de falhas
  • Melhora a imagem do negócio
  • Atrai mais clientes

Empresas de transformação digital no varejo

Magazine Luiza

O Magazine Luiza, também conhecido como Magalu, é um dos maiores exemplos de transformação digital no varejo. A tradicional varejista está há 65 anos no mercado e é super conhecida por suas lojas físicas, mas soube se reinventar na era da digitalização. 

Hoje, vende também em um marketplace gigante, em um superapp e conta com a figura da Lu do Magalu, maior influenciadora digital do mundo

No marketplace e no superapp, além de vender produtos também permite que outras empresas apresentem e vendam mercadorias usando o canal. Sua grande vantagem é o amplo volume de usuários que visitam o site e a segurança que a marca oferece para esses clientes, por causa de sua reputação.

Em conjunto, outras soluções foram criadas e adquiridas pela empresa, com o objetivo de solucionar outras demandas do varejo digital.

SmartHint

Acima, citamos a SmartHint como uma das organizações que oferecem suporte para a implementação de IA através de alguns recursos para loja virtual; e são justamente essas soluções para e-commerce que a colocam entre os exemplos de empresas de transformação digital no varejo.

A organização surgiu para atender as demandas do novo modelo de compra e venda no universo on-line e o constante crescimento do comércio eletrônico. 

Esse crescimento é apresentado em uma pesquisa realizada pela própria equipe da SmartHint, indicando que o e-commerce brasileiro teve um aumento de faturamento de 785% nos cinco primeiros meses de 2022, em comparação com o período pré-pandemia. 

Já em comparação a 2021, a expectativa da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) é de que o e-commerce no Brasil fature R$169,5 bilhões em 2022 — um crescimento de 12%.

Para atender a esse crescimento e aumento da concorrência, a SmartHInt surgiu como uma empresa de transformação digital que oferece recursos para empreendedores digitais em busca de melhores resultados de conversão de vendas no e-commerce. 

Como já mencionado, os recursos oferecidos são: busca Inteligente; vitrines de recomendação; pop-ups de retenção; e hotsites.

Conclusão

Estar atento às inovações da transformação digital contribui para que você se mantenha preparado para atender ao mercado, aproveitando as oportunidades que ele oferece. E implementar tudo isso pode ser um desafio menor se você tiver ao seu lado empresas que desenvolvem soluções especializadas. 

A SmartHint desenvolve soluções com o objetivo de melhorar a experiência dentro da loja virtual e aumentar a taxa de conversão. Solicite uma demonstração gratuita!

Compartilhe:

Rodrigo Schiavini

Rodrigo Schiavini

Fundador e diretor de negócios da SmartHint, também é diretor regional Paraná da ABComm, com mais de 10 anos de experiência em comércio eletrônico para grandes marcas dos mais variados segmentos.
Últimas postagens

Conteúdos e estratégias
para e-commerce

Receba conteúdos especializados no seu e-mail.
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]