Varejo digital: como funciona, quais as características e vantagens?

O varejo digital é uma modalidade de vendas on-line e pode ser uma oportunidade para quem deseja iniciar um negócio. Para isso, é fundamental estudar o setor e compreender suas características e benefícios. Quer começar agora mesmo? Então continue lendo e aprenda tudo sobre varejo digital.

O que é varejo digital?        

O varejo digital é um modelo de venda em que os produtos são comercializados na  internet, geralmente com o foco no consumidor final, embora também existam varejos digitais voltados a atender outras empresas, os chamados B2B (business to business).

A modalidade de varejo on-line vem crescendo ano após ano e ganhando a preferência dos compradores pela facilidade e praticidade que oferece. Segundo dados do relatório da Neotrust, em 2021, o e-commerce brasileiro faturou mais de R$161 bilhões, o que representa um crescimento de 26,9% comparado a 2020. 

Esses números, entretanto, não param de avançar. Apenas no primeiro trimestre de 2022, o e-commerce brasileiro teve um crescimento de 12,6%.

No entanto, antes de tomar carona nesse sucesso, é preciso aprofundar seu conhecimento sobre os benefícios do varejo digital e entender as principais características do modelo. 

Qual a diferença entre o varejo digital e o físico?        

Para explicar quais são as particularidades do varejo digital, vamos compará-lo ao comércio físico. Para isso, destacamos algumas diferenças entre eles: 

  • Local de venda
  • Público
  • Estoque e mostruário
  • Atendimento ao cliente

A seguir, entenda como cada um desses fatores impactam na experiência do cliente

Local de venda

A primeira diferença entre varejo digital e varejo físico é o local em que as transações são realizadas. 

No modelo tradicional, as vendas são feitas em um ambiente físico, geralmente, em uma loja. Entretanto, também podem ser realizadas com visitas de porta a porta, por exemplo. 

O que importa é que vendedor e cliente estão no mesmo espaço físico e a transação comercial é feita nesse ambiente. 

No varejo digital, as vendas são realizadas por intermédio da internet e é necessário que o comprador acesse um endereço virtual para que possa realizar a escolha e compra de mercadorias. 

Todo o processo é feito on-line, desde a seleção de produtos até o pagamento

O envio da mercadoria então é realizado pelo vendedor, que pode usar diferentes tipos de logística de entrega.

Público

A verdade é que o público que consome on-line está cada vez mais diversificado e a cada ano mais pessoas passam a fazer compras pela internet. De acordo com o relatório E-Shopper Barômetro 2021, o número de brasileiros que fazem compras em lojas virtuais já alcança 63% da população conectada à internet.

O estudo ainda indicou dois tipos de perfis de consumidores brasileiros: 

  • os recorrentes (ou addict e-buyer), são 15% do total e responsáveis por 51% de todas as compras do varejo on-line;
  • os millennials, 54% dos compradores.

O perfil de compradores recorrentes é majoritariamente feminino (70% são mulheres) e com idade média de 36,8 anos.

Também é importante destacar o comportamento de compra por dispositivos móveis. A pesquisa da PwC indica que as compras por celular cresceram 45% e as por computador 41% no pós-pandemia.

Estoque e mostruário

Existem diferentes formas de realizar a venda on-line e gerenciar as mercadorias de um e-commerce. 

A mais tradicional é a montagem de um estoque, como ocorre em lojas físicas. Um tipo de armazém que é abastecido com os produtos que serão vendidos. Também é possível realizar vendas sem estoque por meio de modelos logísticos de cross docking e dropshipping.  

Independentemente do tipo escolhido, nas lojas virtuais, os produtos são apresentados aos consumidores por meio de fotos, vídeos e boas descrições.

Não há um mostruário físico que permite, por exemplo, que o cliente experimente a mercadoria. Contudo, um bom e-commerce se preocupa em criar vitrines virtuais que organizem os produtos e facilitem ao visitante encontrar os itens que procura. 

Essa tecnologia permite a criação de vitrines inteligentes que facilitam o processo de compra. 

Leia também: O que é dropshipping e como funciona esse novo modelo de negócio?

Atendimento ao cliente

Em uma loja física, o atendimento é realizado presencialmente. O cliente entra na loja e é recepcionado por um profissional que irá oferecer suporte durante a compra. 

No varejo digital, o cliente não visita a loja física, logo, não é necessário que haja um espaço dedicado a recepcioná-lo. Essa é, inclusive, uma das grandes razões para o varejo digital ser considerado uma opção mais econômica para quem deseja iniciar um negócio. 

Apesar disso, é indispensável que haja investimento na criação de canais de atendimento virtual, como:

  • chat no site;
  • redes sociais;
  • telefone;
  • e-mail;
  • WhatsApp, entre outros.

Todos esses canais devem ser monitorados para responder rapidamente às demandas que chegam por eles, solucionando dúvidas e respondendo críticas e elogios.

Além disso, devem estar integrados para garantir que o cliente receberá um suporte personalizado, de acordo com seu histórico de consumo. 

Vantagens do varejo digital: vale a pena investir?       

Não precisar montar uma loja física não é a única vantagem do varejo digital. Existem outros benefícios importantes que devem ser considerados, como:

  • Setor em expansão
  • Menos custos operacionais
  • Fim das barreiras geográficas
  • Atendimento 24/7
  • Automação de processos
  • Monitoramento e otimização
  • Variedade de estoque

Setor em expansão 

O setor de comércio eletrônico vem crescendo a cada ano, conquistando mais espaço na preferência dos consumidores.

Menos custos operacionais

De acordo com o formato da loja que você quiser criar, é possível iniciá-la de dentro da sua casa, sem a necessidade de um grande capital inicial.

Fim das barreiras geográficas

Com o varejo digital, é possível vender para qualquer lugar do Brasil e até do mundo. 

Atendimento 24/7

Possibilidade de venda 24 horas por dias, todos os dias da semana, sua loja não fica fechada e está disponível para os clientes o tempo todo, diminuindo as barreiras de compra.

Automação de processos 

É possível automatizar uma série de atividades comerciais como emissão de nota fiscal, processamento de pagamento, impressão de etiqueta para envio e até a personalização da experiência de navegação, através de vitrines virtuais autônomas, busca inteligente, pop-ups de retenção e hotsites.

Monitoramento e otimização 

A transformação digital e seus recursos permitem que todas as ações tenham seus resultados coletados e monitorados, tornando a gestão do negócio mais inteligente e econômica.

Variedade de estoque 

A redução dos gastos permite a ampliação do portfólio de produtos, em especial, quando o dropshipping é o modelo escolhido pelo gestor. 

Leia também: Catálogo de produtos: como criar o seu e deixá-lo mais atrativo.

Canais de vendas on-line e como implementar o varejo digital

Entre as principais opções de canais de vendas on-line estão:

  • E-commerce próprio
  • Social selling
  • Marketplace

E-commerce próprio

Nesse caso, você cria um site para comercializar seus produtos. Trata-se de um espaço com o nome e a identidade visual da sua empresa, em que apenas os seus produtos são encontrados.

Social selling

O social selling é a prática de vender produtos por meio das redes sociais, como Instagram Shopping e Facebook Shopping.

Leia também: O que é social listening e como ele melhora a experiência do cliente?

Marketplace

Nesse caso, a venda de produtos é feita usando canais de terceiros, como, por exemplo, os marketplaces do Magazine Luiza, Amazon e Mercado Livre.

Leia também: O que é e como funciona a buy box nos marketplaces?

Dica extra

O varejo na era digital possui uma lista imensa de características próprias e benefícios que fazem os olhos dos empreendedores brilharem, entretanto, a dúvida sobre como implementar pode impedir você de dar os primeiros passos. Sem dúvida, o início de um negócio exige atenção, cuidado, conhecimento e planejamento.

Quer uma forcinha nessa etapa? Então confira o nosso texto sobre como fazer uma loja virtual do zero!

Faça também o download do nosso kit de planejamento para e-commerce com materiais essenciais, como:

O que é varejo phygital?

Mesmo quem já possui uma empresa física também pode aproveitar os benefícios das vendas on-line, sem abrir mão do comércio tradicional. 

O modelo conhecido como varejo phygital, ou omnichannel, é uma das tendências para o futuro do e-commerce e propõe a integração total entre canais de venda on-line e físicos.

Leia também: O que é omnichannel e como melhora a experiência do consumidor.

 

Para alavancar os resultados dos empreendedores que já atuam no varejo digital, a SmartHint conta com o melhor sistema de recomendação e busca inteligente para lojas virtuais ampliarem as taxas de conversão. Conheça a SmartHint!

Compartilhe:

Rodrigo Schiavini

Rodrigo Schiavini

Fundador e diretor de negócios da SmartHint, também é diretor regional Paraná da ABComm, com mais de 10 anos de experiência em comércio eletrônico para grandes marcas dos mais variados segmentos.
Últimas postagens

Conteúdos e estratégias
para e-commerce

Receba conteúdos especializados no seu e-mail.
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]