O que é inteligência artificial: 8 exemplos no seu dia a dia

o que é inteligência artificial exemplos

É muito comum dizer que a inteligência artificial (IA) é a simulação da inteligência humana em máquinas, fazendo com que elas tenham a capacidade de aprender, raciocinar, deduzir, fazer previsões etc. 

Muitas vezes, a associamos à imagem de um robô físico e humanizado, como nos filmes. Mas, na maioria dos casos, ela não é assim, principalmente quando presente no nosso cotidiano. 

Por isso, o propósito deste texto é ir além: é explicar com detalhes o que realmente ela é, como é criada e apresentar alguns exemplos. 

Para isso, abordaremos os seguintes tópicos:

  • O que é inteligência artificial;
  • Como é criada a inteligência artificial;
  • Tipos de inteligência artificial;
  • Exemplos de inteligência artificial no seu dia a dia.

O que é inteligência artificial

A inteligência artificial é um ramo de estudo e pesquisa da computação que busca caminhos para imitar o funcionamento dos neurônios humanos em máquinas e resolver diversos problemas com base no comportamento humano, através de mecanismos matemáticos e lógicos. Na verdade, ela é um conceito.

Inteligência artificial e programação

Quando nos referimos à inteligência artificial como uma tecnologia —  e não um conceito —, é certo dizer que ela é feita através de algoritmos computacionais, ou seja, instruções escritas que devem ser seguidas pelo computador a fim de que ele execute determinados comandos. 

Mas esses algoritmos são feitos de um modo diferente, para que as respostas da máquina sejam o mais semelhantes possível às respostas do cérebro humano, ou seja, menos lineares e constantes.

Por exemplo, um computador pessoal foi programado para responder — de forma linear e constante —  a certos comandos, como ligar e desligar ao apertar um determinado botão. Mas isso não o torna inteligente, ele apenas obedece comandos pré-determinados. 

Já as programações feitas dentro dos parâmetros de inteligência artificial utilizam algoritmos inteligentes, possibilitando que uma máquina ou uma ferramenta sejam capazes de interpretar dados e situações, respondendo de modo diferente em cada caso, e ainda aprender com cada um deles. 

No conceito de inteligência artificial, cada programa computacional realizado é chamado de modelo ou modelagem matemática e cada um deles equivale a um propósito diferente, destinado a interpretar características de imagem, áudio, texto etc. 

É possível integrar essas modelagens de diversas formas, seja através de matemática pura e simples ou de formas mais complexas, pois essa integração varia de acordo com a criatividade de quem está criando a IA.

Toda inteligência artificial é um robô?

Não, nem toda inteligência artificial é um robô. O robô — mesmo que não tenha um corpo físico, como os chatbots — é uma forma mais complexa de IA, com a qual podemos interagir de algum modo, seja falando, escutando ou tocando. E para isso, ele precisa unir mais de uma capacidade, e essas capacidades não precisam ser integradas separadamente, pois já foram criadas em conjunto. 

Além dos robôs, existem inteligências artificiais que utilizam:

  • apenas uma modelagem (ou programa): nesse caso, a tecnologia serve para um fim específico e possui apenas uma capacidade, por exemplo, reconhecer imagens;
  • várias modelagens (ou programas): nesse caso, cada modelagem define uma capacidade diferente e elas são integradas a fim de trabalharem em conjunto.

Como é criada a inteligência artificial

Uma tecnologia baseada em inteligência artificial é criada através de programação computacional, como já mencionamos. Mas isso é feito dentro de parâmetros diferentes da programação convencional. 

É preciso utilizar um conjunto de técnicas e recursos que utilizarão os cálculos para aprender e não apenas responder a comandos. O aprendizado acontece quando a máquina ou ferramenta encontra o cálculo que resolve determinado problema. E cada novo cálculo, ou aprendizagem, vai sendo armazenado para ser utilizado em situações futuras. 

O que é necessário para criá-la

Basicamente, é necessário apenas ter uma máquina/computador capaz de fazer cálculos e executar os modelos ou modelagens de forma contínua

É possível fazer isso em um servidor local ou na nuvem. Mas quanto menos recursos e menor capacidade de armazenamento, mais tempo será necessário para criá-la. E quanto mais recursos, menos tempo. 

Formas de treinar a inteligência artificial

A aprendizagem de uma inteligência artificial ocorre de forma semelhante à do ser humano. Por isso, além de aprender por meio da realização de cálculos, ela também aprende através de informações e dados fornecidos por quem a está treinando e também por meio da interação com os usuários.

A maneira com que ela é treinada depende da forma como o algoritmo é construído e pode ser de três tipos:

Supervisionada: nesse caso, a pessoa que está treinando diz para a IA qual é a resposta que quer que ela dê. Por exemplo, mostra uma imagem de um gato para ela e, através de algum código, passa a seguinte mensagem: “eu quero que você fale que isso é um gato”. 

Depois mostra a imagem de um cachorro e fala “eu quero que você diga que isso é um cachorro”. Faz isso com várias e várias imagens e quando mostrar uma imagem de um gato que não foi usada no treino, a IA será capaz de dizer que é um gato.

Semi-supervisionada: nesse modo, a pessoa que está treinando, por exemplo, pega algumas amostras e informa para a IA que são gatos, pega outras e informa que são cachorros e pega outras e não diz nada. E a IA, usando as amostras de gatos e cachorros, faz sozinha a classificação das que não foram identificadas. 

Não supervisionada: nesse caso, a pessoa não diz nenhuma resposta e deixa que a IA responda sozinha. Por exemplo, seguindo o exemplo do gato, a pessoa mostra várias imagens de gato e cachorro misturadas e a própria IA vai criar formas de diferenciar uma coisa da outra sem que alguém precise dizer quais são gatos e quais são cachorros.

Tipos de inteligência artificial

Existem muitos tipo de inteligência artificial com capacidades diferentes, isso depende do algoritmo utilizado. 

Algumas são extremamente especializadas, utilizando algoritmos específicos, como processamento de linguagem natural (PLN) e visão computacional. Mas em sua grande maioria são baseadas em técnicas de machine e deep learning.

Machine learning

As inteligências baseadas em machine learning, ou aprendizado de máquinas, utilizam redes neurais — sistemas de computação com nós interconectados que agem como os neurônios humanos. 

Por isso, conseguem modificar seu comportamento de forma autônoma, a partir da própria experiência, advinda do treinamento que mencionamos anteriormente e da interação com dados e informações fornecidos pelo usuário da tecnologia, as chamadas análises de navegação.

Elas são um pouco mais simples em comparação com o deep learning, pois processam os dados com menor velocidade, por isso trabalham com capacidades menos especializadas. 

Deep learning

As inteligências baseadas em deep learning, ou aprendizado profundo, utilizam grandes redes neurais com diversas camadas de processamento, ou camadas de aprendizado, por isso conseguem aprender padrões mais complexos e são capazes de processar uma quantidade muito maior de dados em menos tempo. 

Geralmente são utilizadas para capacidades mais especializadas, como processamento de áudio e imagem.

8 exemplos de inteligência artificial no seu dia a dia 

Você já percebeu que o universo da inteligência artificial é bastante amplo e complexo, já sabe que nem toda IA é um robô e que nem todo robô tem um corpo físico, como nos filmes. 

Há muitas formas diferentes de inteligência artificial e também muitas maneiras de criá-las e treiná-las, sendo inúmeras as possibilidades e aplicações. 

E é justamente isso o que viabiliza que hoje ela esteja presente no nosso cotidiano em diversas áreas e atividades que às vezes nem imaginamos, passando pela medicina, entretenimento, comércio on-line, entre tantas outras. 

Conheça alguns exemplos da aplicação da inteligência artificial no nosso dia a dia:

1. E-mail

Hoje, a maior parte dos serviços de e-mail, como Gmail e Outlook, utiliza inteligência artificial para identificar possíveis mensagens de SPAM e evitar que lotem a sua caixa de entrada ou até que te prejudiquem de alguma forma, através de vírus ou fraudes. 

2. Redes sociais

Um dos motivos pelos quais as redes sociais são tão viciantes é a capacidade de personalização e isso é possível através do uso de inteligência artificial

Como ela faz o monitoramento de tudo o que é feito durante a navegação e em tempo real, consegue fazer recomendações de amizades mais assertivas e mostrar os anúncios mais pertinentes para cada pessoa. 

Além disso, a inteligência artificial também compreende o emocional dos usuários a partir de suas postagens e, com isso, dá destaque para os conteúdos e imagens mais relevantes e remove os considerados impróprios.

3. Serviços de streaming

O serviços de streaming, como Netflix e Spotify, também fazem o maior sucesso no entretenimento por conta da personalização feita por inteligência artificial. 

Essa personalização acontece principalmente pelos sistemas de recomendação, que através das análises de navegação da inteligência, conseguem mostrar os conteúdos mais relevantes: podcasts, músicas, filmes e séries semelhantes aos mais vistos e escutados. 

4. Google

O Google é um dos maiores exemplos de uso da inteligência artificial no dia a dia. A empresa global já usa essa tecnologia há um bom tempo e em quase todos os produtos e serviços que presta.

Está presente no funcionamento de e-mails — como é o caso citado no exemplo 1 —, em aplicativos, como o Google Lens, que faz buscas por reconhecimento de imagem, Google Maps e até software criados pela empresa e voltados para outros setores, como o da medicina. 

Mas destaco aqui, o Google Ads e o buscador, que é o mais utilizado no mundo todo e que, através do aprendizado da inteligência, tem evoluído e ficado cada vez mais assertivo. 

Essa tecnologia permite que os resultados de busca apareçam cada vez com mais velocidade e que a ferramenta reconheça sinônimos, assuntos relacionados, semelhança entre sons das letras, entre outras coisas.

Quanto mais as pessoas o utilizam, mais ele aprende sobre a intenção de busca e sobre o comportamento, gerando uma melhor experiência para os usuários. 

Já no caso do Google Ads, a inteligência artificial está focada principalmente nas análises de navegação, utilizando essas informações para recomendação de anúncios personalizados e, por isso, mais assertivos. 

5. Comércio eletrônico

Os sistemas de recomendação de produtos baseados em inteligência artificial também são essenciais para o sucesso do varejo on-line, porque ajudam a elevar a experiência de compra.

Como a IA analisa toda a navegação do usuário, consegue mostrar os produtos mais relevantes em vitrines personalizadas. Com ela, até a vitrine de lançamentos é customizada para cada pessoa com maior rapidez e eficiência, pois além de personalizadas as vitrines são autônomas, diminuindo a necessidade de trabalhos manuais.

Mas, além das vitrines, hoje a inteligência artificial também está presente em sistemas de busca inteligente para e-commerce, facilitando a pesquisa por produtos dentro da loja virtual. 

As vantagens de utilizar essa tecnologia são a velocidade da busca, a similaridade fonética — que reconhece os sons das palavras e mostra os produtos mesmo com erro de digitação — e a busca por cor, através do reconhecimento de imagem

6. Medicina

Na medicina, a inteligência artificial já é bastante utilizada também e, por isso, até mesmo os tratamentos médicos hoje conseguem ser muito mais personalizados quando utilizam esse recurso. 

Um campo da medicina que merece destaque pelos avanços através de IA é a oncologia. O próprio Google desenvolveu software destinados à detecção do câncer de mama e de pulmão e se mostraram muito mais eficazes que os próprios médicos no reconhecimento da doença, através das análises de radiografia. 

7. Aplicativos de GPS

Os aplicativos de GPS, hoje tão essenciais na nossa rotina, também fazem uso de inteligência artificial para fazer o monitoramento constante e em tempo real do trânsito, mostrando o melhor trajeto, dando informações sobre acidentes, blitz policiais e muito mais. 

Ela também está presente em aplicativos de delivery de comida ou de entregas, que têm um sistema de GPS interno para monitorar e informar sobre a localização atual do pedido. 

8. Atendimento ao cliente 

Os chatbots são um ótimo exemplo de robô sem corpo físico. Eles simulam um ser humano na conversação por chat e são uma excelente ferramenta de atendimento, pois possibilitam que todo e qualquer usuário seja atendido de imediato, resolvendo ou direcionando para o setor responsável. Isso agiliza o processo e otimiza o tempo dos colaboradores. 

Ufa! Tem mesmo muita coisa pra falar sobre inteligência artificial. Nem uma vida inteira seria capaz de dar conta, afinal, essa tecnologia se desenvolve constantemente. 

Citamos apenas alguns exemplos, mas há uma infinidade de outras áreas e setores que a utilizam para melhores resultados. Que tal continuar nessa odisseia tecnológica e ler sobre reconhecimento de imagem no e-commerce

Solicite uma demonstração da ferramenta

    Compartilhar: