Como fazer análise SWOT? 4 passos para um planejamento mais eficiente

A análise SWOT é uma ferramenta de planejamento estratégico que ajuda empresas a terem uma visão completa sobre os seus principais desafios, tomando decisões sobre ações que realmente favoreçam seu crescimento. A sigla em inglês representa 4 princípios: strengths (forças); weaknesses (fraquezas); opportunities (oportunidades); threats (ameaças).


 

Você sabia que apenas 10% das empresas brasileiras médias elaboraram um planejamento estratégico de longo prazo?

Pois foi o que revelou uma pesquisa realizada pela consultoria Falconi. Essa informação indica a fragilidade e a falta de maturidade de boa parte dos negócios e essa falta de controle e de planejamento dificulta o bom desenvolvimento dessas organizações.

A boa notícia é que o inverso também acontece. Ou seja, quem conta com um bom planejamento estratégico tem um grande diferencial competitivo.

E desenvolver esse planejamento não precisa ser burocrático nem difícil. Na verdade, existem muitas ferramentas que podem tornar esse processo mais prático e intuitivo. Um exemplo é a análise SWOT, uma solução essencial para ajudar no planejamento estratégico de uma empresa.

Se você ainda não conhece essa prática ou quer relembrar como fazer a análise SWOT, está no lugar certo. Neste artigo, vamos dar uma mergulho nessa metodologia e entender:

Continue a leitura para identificar onde está a maior oportunidade de crescimento da sua empresa e definir ações para alcançá-la!

O que é a análise SWOT

A análise SWOT é uma ferramenta de planejamento estratégico que ajuda empresas a terem uma visão completa sobre os seus principais desafios, tomando decisões sobre ações que realmente favoreçam seu crescimento.

Também conhecida como matriz SWOT, a análise SWOT é a sigla em inglês para:

  • Strengths (forças);
  • Weaknesses (fraquezas);
  • Opportunities (oportunidades);
  • Threats (ameaças).

Por sua tradução em português, a análise SWOT também é conhecida como análise FOFA ou matriz FOFA.

Essa ferramenta estimula a observação dos fatores internos e externos que podem impactar positiva e negativamente o bom desempenho de um negócio.

Mas, afinal, quais fatores internos e externos são esses? Como eles se relacionam com as palavras presentes na sigla SWOT? É o que veremos a seguir.

Os fatores internos estão ligados a tudo aquilo que sua empresa tem sob controle, o que está “dentro” dela, como:

  • processos internos;
  • produtos e serviços;
  • colaboradores;
  • reputação;
  • localização.

Nesse contexto, podemos encontrar suas forças e fraquezas, aspectos da sua marca que podem ser considerados como os pontos de melhoria e pontos fortes do seu negócio.

Os fatores externos, por sua vez, tratam-se daquilo que sua empresa não controla, mas que afeta diretamente seu desempenho, como:

  • clientes;
  • fornecedores;
  • concorrentes;
  • socioeconomia;
  • meio ambiente.

Acontecimentos no ambiente externo podem gerar tanto oportunidades como  ameaças para um negócio.

Pense na pandemia do novo coronavírus, por exemplo. De um lado, em decorrência do isolamento social, as empresas do setor de eventos tiveram suas atividades prejudicadas. De outro, o setor de e-commerce cresceu 75%, sendo impulsionado pelo mesmo fator.

Percebe a relação desses dados com tais fatores externos? Eles podem contribuir ou prejudicar os resultados da sua empresa. Por esse motivo, precisam ser avaliados da mesma forma.

Para entender como fazer a análise SWOT, precisamos pensar em um quadrado, dividido por quatro quadrantes. 

Na linha horizontal de cima, posicionamos os fatores internos e, na linha de baixo, os fatores externos. Já na linha vertical da esquerda, inserimos os aspectos positivos (forças e oportunidades), e à direita, os aspectos negativos (fraquezas e ameaças).

Veja um exemplo neste infográfico da Siteware:

infográfico analise swot

Falaremos mais profundamente sobre cada quadrante mais adiante. 

Para que serve a análise SWOT?

Existe uma razão para a análise SWOT ser tão famosa e fundamental para todos os gestores e empreendedores: essa ferramenta pode ser utilizada para diversos fins! Alguns deles são:

  • tirar as ideias do papel;
  • analisar possíveis riscos de planos e estratégias;
  • identificar melhorias que favoreçam sua marca;
  • tomar decisões de maneira mais segura.

E o melhor: ela pode fazer tudo isso, considerando os elementos mais importantes para uma decisão importante.

Imagine o seguinte: quando precisamos determinar uma escolha muito séria, como uma mudança de carreira, avaliamos os riscos e benefícios de uma determinada ação, certo? 

Nesse exemplo, investigamos:

  • nosso conhecimento sobre a área (fator interno);
  • nossos objetivos e metas pessoais (fator interno);
  • a demanda por profissionais desse segmento (fator externo);
  • a remuneração dessa ocupação (fator externo).

Consegue enxergar a análise SWOT dentro dessa tomada de decisão

Ela reconhece os agentes mais relevantes para que possamos “bater o martelo” e realizar escolhas que nos beneficiem. 

E para decisões dentro das empresas, esse tipo de análise também é extremamente importante. Até porque envolve a vida de várias pessoas: consumidores e colaboradores.

Quais são as vantagens da análise SWOT?

O fato de oferecer mais segurança nas ações das empresas já é uma grande vantagem, uma vez que nenhum negócio tem tempo ou dinheiro a perder.

Por outro lado, não é difícil encontrar outros benefícios dessa ferramenta. Muito pelo contrário.

Conheça outras vantagens da análise SWOT:

    • melhora produtos e serviços;
    • soluciona problemas;
    • otimiza as tomadas de decisão;
    • gera mais conhecimento sobre o seu negócio e seu mercado;
    • antecipa problemas e vantagens;
    • prioriza ações;
    • ajuda a encontrar seu diferencial competitivo.

Como fazer análise SWOT

Antes de tudo, precisamos sinalizar algo que pode enriquecer sua análise SWOT com insights muito valiosos: envolver sua equipe.

Fazer a análise SWOT individualmente pode enviesar suas considerações. Então, procure convidar todos os envolvidos no projeto ou membros de um determinado time para que eles contribuam com ideias e pontos de vista diferentes. 

Feito isso, acompanhe o passo a passo sobre como fazer análise SWOT:

1) Desenhe um quadrado com quatro quadrantes 

2) Preencha a matriz

3) Faça uma correlação entre os fatores da matriz

4) Monte um plano de ação

1) Desenhe um quadrado com quatro quadrantes 

Para iniciar, desenhe um quadrado com quatro quadrantes, como aquele representado no infográfico que inserimos mais acima.

Você pode utilizar simplesmente uma folha de papel ou, então, configurar uma planilha de Excel para isso. O importante é que você tenha visibilidade dos quadrantes para tornar a análise SWOT mais simplificada.

2) Preencha a matriz

Nesse momento, você deve destacar as forças, fraquezas, oportunidades e ameaças da sua empresa. Vamos entender cada quadrante a seguir.

Força

As forças se referem ao ambiente interno, ou seja, tudo aquilo que você tem dentro da sua empresa e que o fortalece, como:

  • ferramentas potentes;
  • um time muito qualificado;
  • reconhecimento do público;
  • valor mais atrativo para os consumidores.

Fraquezas

Insira nesse quadrante os fatores internos que podem fazer com que o seu consumidor não compre seus produtos e serviços.

Custos de entrega elevados, pouca visibilidade da marca ou um site confuso e com baixa usabilidade são exemplos de fraquezas.

Oportunidades

As oportunidades são movimentações do ambiente externo que podem ajudar a sua empresa. 

Uma empresa que importa produtos pode se beneficiar com a desvalorização do dólar, por exemplo. Ou então, o aquecimento da economia e maior poder aquisitivo dos clientes.

Ameaças

Em contrapartida, existem momentos em que o ambiente externo afeta diretamente os seus negócios.

Ainda pensando na desvalorização do dólar, uma empresa exportadora pode encontrar menos lucratividade nesse necessário. Portanto, essa seria uma ameaça dentro da análise SWOT.

3) Faça uma correlação entre os fatores da matriz

Chegou o momento em que é necessário atacar os problemas e planejar as ações. Para esse fim, é preciso correlacionar os quadrantes das matrizes. 

Veja algumas possibilidades a seguir:

  • forças X oportunidades: quais forças da sua empresa podem ser potencializadas para maximizar as oportunidades do ambiente externo?
  • forças X ameaças: quais forças da empresa podem ser potencializadas para minimizar as ameaças?
  • fraquezas X oportunidades: quais fraquezas podem ser corrigidas para aproveitar as oportunidades?
  • fraquezas X ameaças: quais fraquezas podem ser corrigidas para minimizar as ameaças do ambiente externo?

4) Monte um plano de ação

A partir das correlações realizadas, você pode encontrar o objetivo que guiará seu planejamento estratégico. Com isso, é hora de montar um plano de ação.

Dessa forma, é possível implementar melhorias que aumentem suas vendas e favoreçam uma experiência do cliente positiva com a sua marca.

Mas, em muitos casos, pode ser que você precise de um “empurrãozinho” da tecnologia. Por isso, conheça as soluções da SmartHint, para aumentar os resultados da sua loja virtual!

Compartilhe:

Rodrigo Schiavini

Rodrigo Schiavini

Fundador e diretor de negócios da SmartHint, também é diretor regional Paraná da ABComm, com mais de 10 anos de experiência em comércio eletrônico para grandes marcas dos mais variados segmentos.
Últimas postagens

Conteúdos e estratégias
para e-commerce

Receba conteúdos especializados no seu e-mail.