Meios de pagamento digitais para e-commerce: como escolher o ideal?

Os meios de pagamento digitais para e-commerce viabilizam as transações e vendas on-line de maneira rápida e segura. E também disponibilizam integrações com as mais diversas formas de pagamento, como: cartão de crédito, cartão de débito, boleto bancário, Pix, voucher on-line e carteiras digitais.


 

Assim como as lojas físicas dependem das maquininhas de cartão para viabilizar pagamentos em seus estabelecimentos, no universo digital toda e qualquer transação precisa de uma tecnologia por trás para garantir a segurança, os chamados meios de pagamento digitais.

Você sabe o que são, como funcionam e como escolher o ideal para o seu e-commerce? É o que você vai entender neste artigo. Confira!

O que são meios de pagamento digitais?

Os meios de pagamento digitais são tecnologias que viabilizam o câmbio de informações e de dinheiro de maneira criptografada pela internet.

Dessa forma, o e-commerce e negócios digitais em geral podem fazer uso desses sistemas para aceitar pagamentos on-line de maneira rápida e segura.

Além disso, essas soluções são responsáveis por disponibilizar integrações com as mais diversas formas de pagamento, como: cartão de crédito, cartão de débito, boleto bancário, Pix, voucher on-line e carteiras digitais.

Ou seja, sem eles, os empreendedores digitais não conseguem realizar vendas on-line.

Vale lembrar ainda que, para operarem, os meios de pagamento precisam das devidas autorizações junto ao Banco Central, além da certificação PCI Compliance — que funciona como uma espécie de autorização internacional para operar dados financeiros.

São esses dois quesitos que garantem a segurança e a idoneidade das tecnologias de pagamento disponibilizadas no mercado.

Como os meios de pagamento digitais funcionam?

No universo digital, a grande preocupação de todas as partes envolvidas em uma transação são as fraudes. Por isso, mesmo que uma venda seja aprovada em segundos, uma série de verificações complexas é feita, para garantir que aquela compra é realmente verdadeira e confiável.

Veja a seguir como funciona o fluxo de uma transação digital via cartão de crédito.

fluxograma meios de pagamento digitais
Fonte: Pagar.me

Então, além da validação de dados do cliente no checkout da loja, o banco faz verificações de identidade do comprador e de saldo em conta e, por fim, o antifraude entra em ação.

Por meio de inteligência artificial e da análise de dados daquele modelo de negócio — do e-commerce em questão e dos seus clientes padrão —, o antifraude faz diversas verificações para garantir que aquela compra é segura.

Ou seja, avalia se o cartão de crédito do titular não foi roubado ou clonado, por exemplo. Isso poderia acarretar prejuízos financeiros para o lojista, como resultado de pedidos de chargeback — que é a contestação da compra por parte do cliente que sofreu o golpe.

Qual a importância dos meios de pagamento no e-commerce?

A essa altura do artigo já conseguimos entender que, sem um meio de pagamento, um e-commerce, marketplace ou qualquer outro modelo de negócio digital não consegue, de fato, vender, inviabilizando uma transação on-line.

Mas, além disso, é preciso contar com os meios de pagamento digitais certos, que consigam:

    • disponibilizar diferentes formas de pagamento em uma loja virtual. De acordo com a Moosend, 8% dos abandonos de carrinho que acontecem a nível global são consequência da limitada oferta de métodos de pagamento;
    • garantir uma experiência fluida e segura para o usuário. Isso envolve ter um página intuitiva e que exija pouco do cliente para, em poucos segundos, a compra estar aprovada;
    • aumentar sua conversão de pagamentos. Todos os esforços dedicados a promover, fazer anúncios pagos e recomendações via cross selling podem ser desperdiçados se você contar com um meio de pagamento com baixos índices de conversão ou com um antifraude que não esteja calibrado para o seu modelo de negócio.

Quais são os principais meios de pagamento para e-commerce?

Agora que você já sabe a importância de uma tecnologia de pagamentos para o seu e-commerce e como ela funciona, confira a seguir quais são os meios de pagamento digitais disponibilizados no mercado brasileiro.

Gateway

O gateway de pagamento é a tecnologia mais robusta e personalizável para processar transações no ambiente virtual.

Por isso, é mais procurado por grandes lojistas, que precisam estruturar uma operação customizada para a sua realidade de negócio e dispõem de equipe técnica e capital para esse desenvolvimento a quatro mãos junto à empresa de meio de pagamento escolhida.

A tecnologia do gateway de pagamento é responsável por transportar os dados de uma transação por todo o fluxo financeiro. No entanto, não é o responsável por operar os fluxos de dinheiro. Em uma analogia simples, o gateway funciona como uma régua de tomadas, assim, o lojista pode personalizar as soluções a serem plugadas, como as adquirentes — responsáveis por operar o dinheiro — e o antifraude.

Uma importante vantagem é a funcionalidade de multiadquirência. Isso significa que funcionam várias adquirentes ao mesmo tempo. Dessa forma, se uma apresentar alguma instabilidade ou falha técnica, a compra é processada automaticamente em outra. Isso garante um expressivo aumento dos índices de conversão de pagamentos, evitando que compras sejam recusadas por limitações técnicas.

Subadquirente

As subadquirentes são tecnologias de pagamento mais acessíveis para todos os tipos de modelo de negócio. Sua tecnologia é “plug and play”, ou seja, é pronta para usar. Mas é uma solução mais limitada em termos de personalização, com adquirente e antifraude preestabelecidos.

Por entregar tudo para o lojista em uma única solução, sem muitos atritos, o seu preço acaba sendo mais elevado que o do gateway, que permite um poder de barganha maior em cada solução envolvida em uma transação digital.

PSP

Já o PSP (Provedor de Serviços de Pagamento) é uma tecnologia pioneira do Pagar.me, que reúne o melhor das duas soluções anteriores: altos índices de conversão, com solução multiadquirente, e a simplicidade operacional do “plug and play”.

Adquirente  

Por fim, a adquirente é um meio de pagamento que está por trás de todas as outras, inclusive no mundo físico. Afinal, a adquirente é a tecnologia responsável pelo funcionamento das maquininhas de cartão.

Em um e-commerce ou qualquer outro empreendimento digital, ela também pode ser contratada diretamente como meio de pagamento. No entanto, isso não é usual e nem recomendado. Afinal, para funcionar dentro dos padrões de segurança necessários nas transações financeiras digitais, é preciso contar com um gateway de pagamento plugado na adquirente, bem como um antifraude.

Agora que você já conhece um pouco mais sobre cada um dos meios de pagamento disponibilizados no mercado, fica mais fácil fazer a escolha daquela solução que tenha mais a oferecer para a realidade do seu negócio.

Se você quiser saber mais sobre o universo dos pagamentos digitais, no Blog do Pagar.me você pode conferir novos conteúdos toda semana.

Compartilhe:

Tânia d'Arc

Tânia d'Arc

Formada em letras e pós-graduada em mídias digitais, é apaixonada pelas palavras, por comunicação e pelos detalhes.
Últimas postagens

Conteúdos e estratégias
para e-commerce

Receba conteúdos especializados no seu e-mail.
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]